Sergipe avança no debate sobre Plano de Transição Energética

Gestores da Fapitec e Sedetec reuniram-se com empresa do ramo ambiental e energético

Em continuidade às tratativas relacionadas ao Plano de Transição Energética para Sergipe, a Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia (Sedetec) e a Fundação de Apoio à Pesquisa e à Inovação Tecnológica (Fapitec/SE) realizaram nesta sexta-feira, 3, uma reunião com a Ambipar Group, empresa especializada em serviços e produtos completos voltados à gestão ambiental. A agenda faz parte do esforço do Estado em encontrar parceiros que viabilizem um modelo de desenvolvimento econômico, inovador e com forte impacto social, de forma consciente e sustentável.

Atuando em mais 40 países e com mais 400 plantas no Brasil, o grupo empresarial tem a missão de promover a transmissão ecológica, investindo em projetos de descarbonização, economia circular, transição energética e regeneração ambiental. Dessa forma, a empresa dialoga com a expectativa que o Estado possui em construir um projeto pautado em políticas públicas de qualidade, assegurando um futuro promissor para a população sergipana.

Segundo o presidente da Fapitec, Alex Garcez, a empresa Ambipar é muito preparada em vários segmentos voltados para o meio ambiente, e o encontro teve o propósito de debater a criação do Plano Estadual de Transição Energética. “A empresa está preparando um projeto técnico para ser apresentado ao secretário da Sedetec, Valmor Barbosa, para avaliação dentro do escopo técnico contendo período de atuação e prazo de entrega”, informa.

“Estamos empenhados em formular um plano sólido, capaz de assegurar um modelo de transição energética sustentável para o estado de Sergipe. Nesse sentido, demos início às discussões e já recebemos valiosas contribuições para esse propósito”, declara o diretor da Assessoria de Planejamento da Sedetec, Maurício Nascimento.

A reunião foi mais uma etapa de desenvolvimento do Plano que está sendo construído em conjunto com outras instituições, além da Sedetec e Fapitec, como a Secretaria de Estado de Meio Ambiente, Sustentabilidade e Ações Climáticas (Semac), o Sergipe Parque Tecnológico (SergipeTec) e o Instituto Tecnológico e de Pesquisas do Estado de Sergipe (ITPS). “São parceiros que também estão empenhados em buscar alternativas energéticas inovadoras e ecologicamente responsáveis”, pontua o secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia, Valmor Barbosa.

Bolsistas da Fapitec/SE assinam termo de outorga do Programa de Apoio e Desenvolvimento Tecnológico em Instituições Estaduais

Pesquisadores atuarão na Codise para o desenvolvimento de estudos de expansão de novos Distritos Industriais em Sergipe

A Fundação de Apoio à Pesquisa e à Inovação Tecnológica do Estado de Sergipe (Fapitec/SE), órgão vinculado à Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia (Sedetec), recebeu na quinta-feira, 2, os bolsistas aprovados no Programa de Apoio e Desenvolvimento Tecnológico em Instituições Estaduais (Bolsas DTI) para a assinatura do termo de outorga. O Edital 19/2023, conduzido pela Companhia de Desenvolvimento Econômico de Sergipe (Codise), prevê um investimento global de R$ 180.000,00.

O programa tem como objetivo atrair recursos humanos qualificados e com experiência em pesquisa, desenvolvimento e inovação tecnológica para a execução técnica e científica de ações de prospecção de novos Distritos Industriais no estado de Sergipe, a partir de um planejamento estratégico com base na economia local, mercado atual, logística e infraestrutura associado às pesquisas de viabilidade técnica, econômica e financeira.

O diretor-presidente da Fapitec/SE, Alex Garcez, destacou a importância da execução do programa para Sergipe. “O setor industrial é uma área que influencia diretamente na dinâmica da economia. Nós, enquanto fundação de inovação, ficamos contentes em fomentar, a partir desse programa, o desenvolvimento de soluções e expansão desse mercado”, salientou.

Para o presidente da Codise, Ronaldo Guimarães, a parceria entre as instituições por meio da promoção do programa refletirá no avanço econômico do estado. “No futuro, nós iremos colher bons frutos da pesquisa realizada pelos três bolsistas, no sentido da expansão dos distritos, novas prospecções de áreas, com qualidade para atender grandes indústrias aqui no estado”, pontuou.

Qualificação e avanços 

Na visão do secretário da Sedetec, Valmor Barbosa, a iniciativa reflete o compromisso do Governo do Estado com o envolvimento de atores qualificados nas ações voltadas ao desenvolvimento econômico de Sergipe. “A atuação dos novos bolsistas irá colaborar para viabilizar a formação e expansão de áreas atrativas a negócios, diversificando o portfólio do nosso estado”, resumiu.

“A perspectiva desse projeto visa a geração de renda, emprego e fomento da economia local, territorial e regional. E dentro dessa perspectiva, a gente também vai colocar Sergipe na dinâmica da discussão de captação de recursos, tanto nacionais como internacionais, para o desenvolvimento do nosso estado”, declarou o bolsista e economista Júlio César Batista.

Além disso, o bolsista e engenheiro civil José Pedro Alberto destacou como a realização dos estudos refletirá no progresso da região. “Sergipe está em uma região estratégica entre os estados da Bahia e Pernambuco, que tem várias indústrias. Fomentar a formação de novos parques industriais aqui vai trazer mais empregos para a região”, explicou.

Fapitec/SE lança dois novos programas para impulsionar pesquisa e inovação em Sergipe

Iniciativas buscam ampliar o número de quotas de bolsas dos programas institucionais de iniciação científica e tecnológica, despertar a vocação científica e incentivar talentos potenciais entre estudantes de graduação

O Governo do Estado de Sergipe, por meio da Fundação de Apoio à Pesquisa e à Inovação Tecnológica do Estado de Sergipe (Fapitec/SE), lançou nesta terça-feira, 30, o Edital nº 07/2024 com dois novos programas: o Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (Pibic) e o Programa Institucional de Bolsas de Iniciação em Desenvolvimento Tecnológico e Inovação (Pibiti). O período para envio eletrônico das propostas terá início a partir do dia 11 de junho e se estenderá até o dia 20 de setembro.

As iniciativas têm por objetivo ampliar o número de quotas de bolsas dos programas institucionais de iniciação científica e tecnológica, despertar a vocação científica e incentivar talentos potenciais entre estudantes de graduação. “A partir deste edital buscamos atender às necessidades dos estudantes de ensino superior e impulsionar ainda mais o desenvolvimento científico e tecnológico em Sergipe”, destaca o presidente da Fapitec/SE, Alex Garcez. 

O edital possui duas linhas de apoio. A linha um prevê ações conjuntas com organizações do setor produtivo visando o desenvolvimento conjunto de projetos, assim como a promoção da transferência de tecnologia. Além disso, serão realizadas ações conjuntas com os Núcleos de Inovação Tecnológica (NITs) ou órgãos equivalentes das respectivas instituições, a fim de nortear a identificação de produtos ou processos inovadores. Já na Linha dois os projetos apresentados poderão ser multidisciplinares, devendo ter como resultado estudos voltados às inovações tecnológicas de produtos ou processos desenvolvidos pela instituição com uma clara ação de introdução no mercado.

Recursos financeiros

Para o financiamento dos programas, o edital prevê um montante total de R$ 1.243.200,00, provenientes do Fundo Estadual para o Desenvolvimento Científico e Tecnológico (Funtec), sob a gestão da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia (Sedetec), repassados à Fapitec/SE. Esses recursos serão distribuídos da seguinte forma: na Linha 1, serão atribuídas 100 bolsas Pibic e 40 bolsas Pibiti para as instituições de ensino superior e/ou de pesquisa do Estado de Sergipe. Na Linha 2, serão disponibilizadas 8 bolsas Pibiti para os setores e/ou núcleos de gestão da inovação e tecnologia institucional.

“A distribuição estratégica dos recursos do Funtec nos programas Pibic e Pibiti busca promover colaboração entre instituições de ensino, setor produtivo e órgãos de inovação. Essa iniciativa visa estimular a transferência de conhecimento, fortalecendo a infraestrutura científica e tecnológica do estado”, ressalta o secretário da Sedetec, Valmor Barbosa.

Fapitec/SE participa da 18° edição da Semana de Extensão da Universidade Tiradentes

Nesta edição, o evento discutiu o tema “Diversidade e Inclusão: Pluralidade na Extensão Universitária”

A Fundação de Apoio à Pesquisa e à Inovação Tecnológica do Estado de Sergipe (Fapitec/SE) esteve presente na abertura da 18° edição da Semana de Extensão (Semex) da Universidade Tiradentes (Unit). Realizado entre os dias 23 a 26 de abril, o evento reuniu a comunidade acadêmica para discutir o tema “Diversidade e Inclusão: Pluralidade na Extensão Universitária”. 

Representando a Fundação, estiveram no evento a diretora técnica, Carla Xavier, e o coordenador executivo do Programa de Inovação Tecnológica (Proint) da Fapitec/SE, Paulo César Alves. Na ocasião, foi destacada a importância do estímulo e fomento aos programas de extensão, promovendo uma integração entre os saberes acadêmicos e as necessidades da sociedade sergipana.

“A realização da Semana de extensão tem um relevante papel para a aproximação dos conhecimentos acadêmicos científicos com a comunidade, contribuindo assim para o desenvolvimento social, econômico e cultural”, declarou a diretora técnica da Fapitec/SE, Carla Xavier. 

Além disso, para o coordenador do Proint, Paulo César, o evento é uma ótima oportunidade de apresentar aos discentes os programas promovidos pela Fapitec/SE. “A universidade é uma instituição fundamental para a difusão de conhecimentos e produções científicas. Esta aproximação é oportuna para a discussão dos programas viabilizados pela Fundação”, disse. 

O coordenador de extensão da Unit, professor Geraldo Calasans, destacou a importância da discussão do tema. ”A gente entende que falar de diversidade e inclusão, um tema tão atual e importante. É fundamental para que os alunos aprofundem esse conhecimento nas várias atividades que vão ser realizadas”, explicou.

Semex

Além da realização de seminários, palestras, minicursos e outras ações, a Semex também oportuniza aos estudantes a possibilidade de submissão de trabalhos acadêmicos, na modalidade teórico-empírico que foram resultados de projetos ou atividades de extensão universitária.  

Projetos apoiados pela Fapitec/SE participam de evento global de Inovação e Tecnologia no Rio de Janeiro

Aplicativo ‘Ayo Entregas’ e o software ‘Appchange’, contemplados pelo programa Centelha II, foram apresentados no Web Summit 2024

O software ‘Appchange’ e a plataforma de qualidade e otimização de serviços de entregas ‘Ayo’, ambos contemplados pelo programa Centelha II,  promovido pela Fundação de Apoio à Pesquisa e à Inovação Tecnológica do Estado de Sergipe (Fapitec/SE), participaram do Web Summit 2024, evento global de inovação e tecnologia. O encontro foi realizado no Rio de Janeiro entre os dias 15 e 18 de abril.

Um dos diferenciais do aplicativo de entregas Ayo, que foi uma das 25 startups selecionadas pela Agência Brasileira de Promoção de Exportadores e Investimentos (Apex Brasil) para exporem suas soluções inovadoras no evento, é a otimização do tempo de deslocamento do entregador, gerando assim a potencialização dos seus ganhos. A plataforma apresenta, ainda, por meio do georreferenciamento, zonas com maiores demandas. Para um dos idealizadores do projeto, o gestor Iuri Magno, a participação no Web Summit foi uma experiência positiva para a startup.

“É muito importante para a Ayo e seu crescimento continuar participando e sendo uma das representantes do Nordeste em eventos internacionais. Expressamos nossa gratidão pelo apoio da Fapitec/SE através do programa Centelha. Sem esse suporte, não teríamos alcançado o sucesso em cumprir as metas estabelecidas para atingir nossos objetivos numéricos”, declarou Iuri.

A passagem da Ayo pelo Web Summit 2024 também oportunizou a empresa a validar suas estratégias de internacionalização com atores de ecossistemas de inovação estrangeiros, a partir da apresentação de um pitch de vendas e da recepção de feedbacks dos avaliadores presentes do local.

Já o ‘Appchange’ trata-se de um software com funcionalidades como feed de versões, incluindo melhorias, correções e atualizações. O foco do serviço computacional é apresentar informações precisas sobre o público, cliente ou usuário de determinado serviço ou empresa.

“É um evento extremamente importante para meu nicho de negócio. O público que esperamos está nesse tipo de evento e, para mim, foi extremamente importante ter uma oportunidade de vir para cá para fazer esse network”, explicou um dos sócios do Appchange, Charlesson Maxwell.

Representando a Fundação estiveram presentes no evento o diretor financeiro da Fapitec/SE, Mario Cezar Santos, e o coordenador-executivo do Programa de Inovação Tecnológica (Proint) da Fapitec/SE, Paulo César Alves. “Eventos como a Web Summit são verdadeiras vitrines que geram oportunidades para ideias inovadoras que estão sendo executadas. Ver um projeto desenvolvido em Sergipe em uma convenção dessa magnitude reflete a qualidade dos projetos produzidos em nosso estado”, enfatizou Paulo César.

De acordo com o diretor-presidente da Fapitec/SE, Alex Garcez, a inovação sergipana está em constante avanço e a presença no evento evidencia tal realidade. “É de imensa satisfação acompanhar os feitos de projetos amparados pela Fundação. Estes passos são reflexo do fomento promovido em nosso estado”, salientou.

Web Summit 2024

Sediado no Riocentro, o Web Summit reuniu pesquisadores, influenciadores, investidores e o empresariado internacional para exporem e debaterem assuntos pertinentes à inovação e tecnologia, a exemplo de temáticas como inteligência artificial, criptomoedas, sustentabilidade, entre outros. O evento, que contou com mais de 600 palestras, recebeu cerca de 40 mil pessoas entre participantes e visitantes durante os três dias de programação.

Governo lança edital para participação de pesquisadores em eventos científico-tecnológicos realizados fora de Sergipe

Programa viabiliza apoio com despesas em viagens com intuito de apresentações em congressos, mostras, e demais eventos de Ciência e Tecnologia

Com o objetivo de divulgar nacional e internacionalmente as produções em Ciência e Tecnologia desenvolvidas por meio de editais promovidos pela Fundação de Apoio à Pesquisa e à Inovação Tecnológica do Estado de Sergipe (Fapitec/SE), a instituição torna público nesta segunda-feira, 15, o Programa de Auxílio ao Pesquisador para a Participação em Eventos Científicos e Tecnológicos no País e no Exterior (Prapec). Executado em fluxo contínuo, o programa receberá propostas até o dia 11 de outubro de 2024.

Os auxílios concedidos serão financiados com recursos não-reembolsáveis oriundos do Fundo Estadual para o Desenvolvimento Científico e Tecnológico (Funtec), sob a gestão da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia (Sedetec), no valor global de R$ 95 mil para o financiamento parcial ou integral de no mínimo 19 propostas de participação de eventos. Além disso, as contratações das propostas submetidas acontecerão mediante a existência de saldo, ou seja, após atingir o limite orçamentário do programa, as demais propostas não serão aprovadas. Cada proposta aprovada poderá solicitar recursos de até R$ 5 mil.  

Para o diretor-presidente da Fapitec/SE, Alex Garcez, o programa cumprirá um papel importante na divulgação dos projetos desenvolvidos com auxílio da instituição. “Para além do desenvolvimento das pesquisas, a etapa de divulgação e exposição desses projetos são essenciais para a difusão da ciência e da inovação tecnológica sergipana”, pontuou.

“A soma de esforços para a promoção do cenário científico-tecnológico em Sergipe contribui diretamente para o desenvolvimento social e econômico da nossa região. O lançamento deste edital vem para contribuir para a cadeia de pesquisa em nosso estado”, salientou o secretário do Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia, Valmor Barbosa.

Para ter acesso a mais informações sobre o edital n° 06/2024, acesse o site oficial da Fapitec/SE, na aba ‘editais abertos’.

Fapitec lança edital do Programa de Apoio à Pós-Doutorado

O edital prevê o valor global de R$ 890.400,00 em bolsas de categorias Júnior e Sênior

Com o objetivo de difundir o desenvolvimento da prática de pesquisa no estado de Sergipe, através da formação de recursos humanos em nível de pós-doutorado Júnior e Sênior, a Fundação de Apoio à Pesquisa e à Inovação Tecnológica do Estado de Sergipe (Fapitec/SE) lança nesta segunda, 8, o Programa de Apoio à Pós-Doutorado no Estado de Sergipe (PPDOC-SE). Os pesquisadores doutores vinculados às Instituições de Ensino Superior (IES) podem apresentar suas propostas à Fundação até o dia 3 de maio, sem a possibilidade de prorrogação do edital.

O diretor-presidente da Fapitec/SE, Alex Garcez, pontuou que o lançamento do programa contribui diretamente para o fortalecimento das atividades de pesquisa no estado sergipano. “As bolsas subsidiarão a execução das pesquisas e irão oportunizar a consolidação e atualização dos conhecimentos nas diversas linhas temáticas propostas no programa”, explicou.

Os valores disponibilizados por meio do edital n° 03/2024 prevê o quantitativo de R$ 890.400,00 (valor global), oriundos do Fundo Estadual para o Desenvolvimento Científico e Tecnológico (Funtec), sob a gestão da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia (Sedetec). Assim, serão implementados 12 projetos, sendo seis vinculados a uma bolsa de Pós-Doutorado Júnior (PDJ) cada, e seis a uma bolsa de Pós-Doutorado Sênior (PDS) cada.

Para o secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia, Valmor Barbosa, o lançamento do edital representa o compromisso das instituições com a pesquisa sergipana. “A soma de esforços para o lançamento dos programas de fomento à pesquisa reflete diretamente no desenvolvimento do nosso estado, trazendo oportunidades e avanços significativos”, disse.

Linhas Temáticas


O PPDOC-SE propõe o desenvolvimento de pesquisas nas seguintes linhas temáticas e setores estratégicos para o estado: agropecuária; saúde; energia limpa e acessível: matriz e transição energética e petróleo e gás; cadeias produtivas sergipanas; mudanças climáticas; indústria, inovação e infraestrutura; biotecnologia aplicada à cadeia produtiva de alimentos e preservação dos mananciais aquíferos; redução das desigualdades : tecnologias sociais, povos originários, empregabilidade/trabalhabilidade, igualdade de gênero; Cidades e comunidades sustentáveis: ecossistema de inovação, cidades inteligentes e turismo de base comunitária, economia criativa e parque industrial.

Para mais informações sobre o programa, acesse a aba “editais abertos” no site oficial da Fapitec/SE.

Aplicativo de segurança digital desenvolvido com apoio da Fapitec/SE será apresentado em evento internacional

Plataforma Égidis, que visa promover proteção na internet, participará do 6° Encontro Internacional sobre Jogos e Mobile Learning da Universidade de Coimbra

O aplicativo Égidis, que tem como objetivo promover a segurança e a proteção na internet foi aprovado para ser apresentado no 6° Encontro Internacional sobre Jogos e Mobile Learning (EJML), que será realizado de forma remota nos dias 24 e 25 de maio e conta com a organização da Universidade de Coimbra, de Portugal. O projeto, desenvolvido pelo clube de protagonismo WebGame, é um dos apoiados pelo Governo de Sergipe, por meio da Fundação de Apoio à Pesquisa e à Inovação Tecnológica do Estado (Fapitec/SE) por intermédio do Programa de Apoio a Projetos de Desenvolvimento do Ensino na Escola (Edital 02/2022), a partir de recursos oriundos da Secretaria de Estado da Educação e da Cultura (Seduc).

O encontro, que atrai participantes nacionais e estrangeiros, objetiva reunir mestrandos e doutorandos, investigadores, professores, psicólogos, profissionais de Ciências da Educação, além dos demais interessados pela temática para a promoção da troca de conhecimentos, investigação e questões pertinentes para uma integração sustentável de plataformas voltadas à educação.

Para o coordenador do projeto e padrinho do clube WebGame, Lucas Pazoline, a participação no evento é uma oportunidade para fortalecer a visibilidade do aplicativo Égidis e de outras ações do Clube WebGame no cenário internacional. “A participação do Clube WebGame no 6° Encontro Internacional sobre Jogos e Mobile Learning é de enorme relevância não apenas para o projeto Égidis, mas também para o desenvolvimento acadêmico dos alunos envolvidos”, declarou.

O diretor-presidente da Fapitec/SE, Alex Garcez, destacou a importância da participação desse projeto no evento internacional. “A pesquisa e a inovação tecnológica sergipana têm atravessado fronteiras por meio daqueles que protagonizam esse cenário em nosso estado. A participação do aplicativo Égidis neste encontro é um exemplo disso e ficamos gratificados em apoiar este projeto”, salientou Garcez.

Aplicativo Égidis

O Égidis é um aplicativo de aprendizagem gamificada que disponibiliza conteúdos que auxiliam no desenvolvimento de habilidades relacionadas à segurança na internet. O projeto, desenvolvido com o apoio da Seduc e da Fapitec/SE, representa uma abordagem inovadora para combater os desafios digitais enfrentados pela comunidade escolar.

Além disso, a plataforma oferece uma experiência interativa e informativa, tornando-se uma ferramenta essencial no esforço de educar e proteger os usuários online contra ameaças como fake news e crimes cibernéticos. Lançado oficialmente durante a Feira de Inovação, Tecnologia, Empreendedorismo e Ciência (Feitec), em 2023, o Égidis continua em constante aprimoramento para garantir uma abordagem abrangente e eficaz na promoção da segurança digital.

“Atualmente, o Égidis está em uma fase de expansão e aprimoramento. Com mais de 15 trilhas de aprendizagem já disponíveis on-line, estamos focados em ampliar seu alcance para outras escolas, permitindo que um maior número de alunos e educadores se beneficiem das dicas e conteúdos sobre segurança digital oferecidos pelo aplicativo”, completou Lucas.

Conferência Estadual reúne cerca de 40 instituições para debater futuro da ciência, tecnologia e inovação 

Participantes destacaram impactos dos debates no desenvolvimento social e econômico do estado

Dando continuidade às atividades da Conferência Estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação, realizada nesta quarta-feira, 3, no Hotel Sesc Atalaia, representantes do Governo do Estado, comandados pela Secretaria do Desenvolvimento Econômico, da Ciência e Tecnologia (Sedetec), e membros de universidades, sociedade civil e demais instituições de envolvidas com a Ciência, Tecnologia e Inovação (CT&I) em Sergipe, debateram sobre os eixos temáticos sugeridos pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI).

Entre os eixos estão: recuperação, expansão e consolidação do Sistema Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação (Eixo I); reindustrialização em novas bases e apoio à inovação nas empresas (Eixo II); ciência, tecnologia e inovação para programas e projetos estratégicos nacionais (Eixo III); e, ciência, tecnologia e inovação para o desenvolvimento social (Eixo IV).

Participação

As conferências estaduais proporcionam um espaço para a participação ativa e direta dos cidadãos nos debates que afetam suas vidas e comunidades. Isso promove a democracia participativa, permitindo que pessoas de diferentes origens e perspectivas contribuam para a formulação de políticas e programas.

Ao todo, 39 instituições ligadas à Ciência, Tecnologia e Inovação participaram do evento em Sergipe. Entre elas a coordenação de Políticas Públicas em Defesa dos Direitos e Promoção de Igualdade Racial, ligada à Secretaria de Estado da Assistência Social, Inclusão e Cidadania (Seasic). De acordo com a coordenadora Márcia Vieira, o evento foi um importante momento para promover o diálogo e colaboração entre diferentes entidades. “Para nós participar deste evento é muito importante pois fortalece nosso trabalho enquanto gestores, além de ser uma oportunidade para a realização de projetos de parceria com instituições importantes do estado de Sergipe”, afirmou.

Já o diretor de Inovação e Empreendedorismo do Instituto Federal de Sergipe (IFS), José Augusto Andrade Filho, apontou que a conferência foi importante por dar oportunidade para que os envolvidos expressassem o que precisa ser desenvolvido no estado. “Dentro dos eixos optei por trabalhar com o eixo que tratou da industrialização e percebi que muitas ações que a gente está propondo para essa conferência, elas casam com as ações do ELI [Ecossistema Local de Inovação]”, finalizou.

Impactos na sociedade

O diretor de Relações Institucionais da Universidade Tiradentes, Marcos Wandir, participou do debate e destacou que as inovações nas políticas impactam diretamente a vida em sociedade. “Estamos aqui representando uma área importante: a de formação de pessoas para o segmento de Ciência, Tecnologia e Inovação. A gente percebe o esforço do Estado de Sergipe, aglutinando todos os setores estratégicos para essa discussão, que vai levar à mudança de paradigmas e melhoria da qualidade de vida das pessoas”, avaliou.

Desenvolvimento

O professor emérito da Universidade Federal de Sergipe (UFS), José Fernandes de Lima, reforçou a importância da avaliação sobre a ciência no presente e no futuro. “Essa é uma grande oportunidade para fazermos uma reflexão sobre a ciência que está sendo desenvolvida em Sergipe, sobre a nossa capacidade de inovação e sobre o desejo para o futuro. É um momento muito rico, com a participação de diversos setores, para que possamos elaborar excelentes propostas para o Governo Federal”, ressaltou.

A criação de novos postos de empregos e geração de renda através da Ciência foram destacadas pelo também professor da UFS, Lucindo Quintans. “Essa conferência traz a oportunidade da sociedade sergipana dialogar com o Ministério da Ciência e Tecnologia e outros atores no estado sobre projetos do futuro para Sergipe e também para resolver problemas presentes. O mais importante é o desenvolvimento de uma política estadual alinhada com a nacional, pensando na formação de recursos humanos qualificados, desenvolvimento econômico sustentável e a criação de emprego e renda”, considerou.

Governo de Sergipe debate políticas públicas para CT&I 

Conferência Estadual aconteceu nesta quarta-feira, 3 e é uma preparação para sistematizar contribuições para a conferência regional e nacional de ciência, tecnologia e inovação

Com o tema ‘Para um Brasil justo, sustentável e desenvolvido’, o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia (Sedetec), realizou nesta quarta-feira, 3, a Conferência Estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação em Sergipe. O evento contou com o apoio do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação e da Fundação de Apoio à Pesquisa e à Inovação Tecnológica de Sergipe (Fapitec/SE) e ocorreu no Hotel Sesc Atalaia, em Aracaju, objetivando debater iniciativas que fomentem o desenvolvimento científico e sustentável no estado. 

A realização da conferência também é uma preparação para sistematizar contribuições  para a Conferência Regional de Ciência, Tecnologia e Inovação que acontecerá nos dias 2 e 3 de maio, em Pernambuco e, posteriormente, para a Conferência Nacional que acontecerá entre os dias 4 e 6 de junho, em Brasília. Tais conferências irão analisar os programas e os planos da Estratégia Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação (ENCTI) 2016-2023, e os seus resultados, com vistas a propor recomendações para a elaboração da ENCTI 2024-2030, além de ações a serem executadas em longo prazo, com foco no crescimento e desenvolvimento do país. 

Durante a cerimônia de abertura, o secretário do Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia, Valmor Barbosa, pontuou que a conferência visa contribuir com sugestões sobre as políticas de desenvolvimento econômico, ciência e tecnologia sustentável. “Este evento fomenta a inovação, explora novos temas de pesquisa, fortalece as ciências básicas e transdisciplinares, e cria um ambiente favorável para que o Estado possa receber esses pesquisadores, com o grande apoio do Ministério da Ciência e Tecnologia”, disse. 

Construção coletiva

A importância de criar um espaço de diálogo e colaboração entre diferentes setores da sociedade, incluindo academia, governo, setor privado e sociedade civil, foi ressaltada pelo representante do Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação, o secretário substituto da Secretaria de Ciência e Tecnologia para Transformação Digital (SETAD), Hamilton José Mendes da Silva. “Com essas discussões a nível de Estado, a população vai recuperando a crença no poder transformador da ciência. O cidadão brasileiro precisa acreditar e ter informações que mostrem que o Brasil só se tornou uma potência, por exemplo, no setor agrícola, graças a muito investimento em ciência e tecnologia”, destacou o representante do Ministério. 

Para o secretário Especial de Planejamento, Orçamento e Inovação, Júlio Filgueira, a ciência, tecnologia e inovação dizem respeito à construção de um Brasil soberano. “Falar destes temas significa falar de uma alicerce que deve constituir aquilo que pretendemos que seja a construção de um Brasil justo, sustentável e desenvolvido, como indica o tema central da conferência”, ressaltou.

O relator representante da conferência e diretor da Agência de Inovação e Transferência de Tecnologia (Agitte-SE), Antônio Martins, agradeceu o convite e frisou a importância de discutir a ciência, tecnologia, inovação e desenvolvimento social com diversos agentes envolvidos no setor. “Esperamos que consigamos avançar no modal de desenvolvimento tecnológico, social e inovação aqui do estado. Que ao fim desse dia, a gente saia com muitas propostas que possam ser encaminhadas à Conferência Nacional”, afirmou.

“A discussão começa em estados e municípios e vai sendo consolidada em níveis regionais para que depois se consolide num documento nacional. As propostas, além de serem mais ricas e mais densas, terão muito mais credibilidade e potencial de sucesso, porque as pessoas que participam estão mais próximas dos problemas”, pontuou o presidente da Fapitec/SE, Alex Garcez. 

Programação

Após a cerimônia de abertura, o evento seguiu pela manhã com as discussões sobre quatro eixos temáticos: recuperação, expansão e consolidação do Sistema Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação; reindustrialização em novas bases e apoio à inovação nas empresas; ciência, tecnologia e inovação para programas e projetos estratégicos nacionais; ciência, tecnologia e inovação para o desenvolvimento social.

Já durante o período da tarde serão apresentados os tópicos discutidos em cada eixo, além do lançamento da agenda sobre a Lei de Inovação. Esse calendário definirá as reuniões e atividades para a reformulação e aprovação da referida Lei.

Presenças

Além das instituições já citadas, o evento contou com a presença de instituições como Universidade Federal de Sergipe (UFS), Universidade Tiradentes (Unit), Instituto Federal de Sergipe (IFS), Associação Sergipana de Ciência (ASCI), Empresa Brasileira De Pesquisa Agropecuária (Embrapa), Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (Fecomércio), Federação das Indústrias/Instituto Euvaldo Lodi, Federação de Escolas de Educação (Fenen), Hub Xingó de Inovação, Inova-SE e Serviço Nacional de Aprendizagem do Comércio (Senac).

Instituições do governo além da Sedetec e Fapitec/SE também estiveram presentes, como Instituto Tecnológico e de Pesquisas do Estado de Sergipe (ITPS), Sergipe Parque Tecnológico (SergipeTec), Agência de Desenvolvimento de Sergipe (Desenvolve-SE), Companhia de Desenvolvimento Econômico de Sergipe (Codise), Empresa Sergipana de Tecnologia da Informação (Emgetis), Secretaria de Estado da Agricultura, Desenvolvimento Agrário e da Pesca (Seagri), Secretaria de Estado da Assistência Social, Inclusão e Cidadania (Seasic), Secretaria de Estado da Administração (Sead), Secretaria Especial de Planejamento, Orçamento e Inovação (Seplan), Sergipa Gás (Sergas), Secretaria de Estado do Trabalho, Emprego e Empreendedorismo (Seteem), Secretaria de Estado de Políticas para as Mulheres (SPM), Procuradoria Geral do Estado (PGE) e Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz).

Parceiros

Última atualização: 3 de abril de 2024 14:28.

Pular para o conteúdo