Fapitec realiza séries de workshops sobre o Programa Centelha II

A Fundação de Apoio à Pesquisa e à Inovação Tecnológica do Estado de Sergipe (Fapitec/SE) promoveu nos últimos dias uma série de Workshops sobre o Programa Centelha II. Na segunda-feira (18), a palestra aconteceu na Universidade Tiradentes (Unit) e na Faculdade de Administração e Negócios de Sergipe (FANESE).  Já na terça-feira (19), foi a vez do Instituto Federal de Sergipe (IFS) e da Universidade Federal de Sergipe (UFS), na cidade de Lagarto, receberem a caravana do Programa. 



Estiveram presentes o superintendente da Área de Pesquisa Aplicada e Desenvolvimento Tecnológico da Finep, Marcelo Camargo, a gerente do Departamento de Desenvolvimento Tecnológico e Subvenção Descentralizada da Finep (DDTS), Adriana Haguenauer, além do diretor-presidente da Fapitec/SE, Ronaldo Guimarães, e a equipe técnica da instituição. As inscrições do Programa Centelha II vão até 29 de abril.



Durante sua explanação, o superintendente da Área de Pesquisa Aplicada e Desenvolvimento Tecnológico da Finep, Marcelo Camargo, comentou sobre o desafio de aumentar ainda mais o número de inscrições no Centelha. “A pandemia, mesmo tendo um impacto negativo, deixou como comprovação que não tem outro caminho para um país como o nosso, a não ser investir em ciência, tecnologia e inovação. Então a gente gostaria que o programa tivesse resultados expressivos, como foi na primeira edição, mas infelizmente a pandemia acabou afastando os alunos das universidades, e a gente se viu na necessidade de vir até aqui chamá-los de volta, para que eles participem do programa”, disse Marcelo. 

Já Adriana Haguenauer falou sobre a adesão ao programa em Sergipe e sobre o cadastro de inscrição. “A gente teve uma quantidade impressionante de ideias submetidas a cada 100 mil habitantes e Sergipe foi um dos campeões em ideias. Para se inscrever no Centelha, basta ter uma ideia e saber responder quatro perguntas que são fundamentais no cadastro: Qual o problema que eu quero solucionar? Qual a solução que eu estou propondo? Qual o diferencial dessa solução? Qual a equipe que vai desenvolver?”, lembrou. 

Acompanhando de perto todas as edições do workshop, o diretor-presidente da Fapitec, Ronaldo Guimarães, falou sobre as expectativas com o pós-eventos. “As expectativas são as melhores possíveis daqui para a frente. Na primeira edição, Sergipe foi um grande destaque na submissão de ideias e a gente espera que com esse evento nas universidades a gente tenha ainda mais sucesso nesta segunda edição”, afirmou Ronaldo.

Centelha
A primeira edição do Programa Centelha foi lançada em junho de 2019, e alcançou o número de 579 ideias inovadoras inscritas. Destas, 23 foram selecionadas para se tornar novas startups, recebendo auxílio financeiro, capacitações administrativas, mentorias para gestão e empreendedorismo. Nesta segunda edição poderão ser apoiadas até 23 ideias inovadoras, com potencial para se tornarem empreendimentos de sucesso. O recurso global destinado ao financiamento é de R$ 1,2 milhão, com incentivo superior a R$ 53 mil por projeto.

O Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) e a Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) assinam a realização do Programa. O Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), o Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (Confap) e a Fundação CERTI também são parceiros na iniciativa. 

A Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia (Sedetec) e o Sergipe Parque Tecnológico (SergipeTec), são instituições intervenientes do Programa Centelha II. O programa conta ainda com diversos parceiros, como Grupo Tiradentes, UFS, IFS, Sebrae Sergipe, Fanese, IEL, Fies, Fecomércio, UniNassau, IPTI, entre outros. 

Parceiros

Última atualização: 20 de abril de 2022 09:27.

Pular para o conteúdo