Projetos apoiados pela Fapitec conquistam destaques nacionais e internacionais

Com trabalhos inovadores, cientistas e bolsistas trouxeram reconhecimento para Sergipe

Pesquisadores e bolsistas vinculados à Fundação de Apoio à Pesquisa e à Inovação Tecnológica do Estado de Sergipe (Fapitec) vem alcançando destaque entre seus pares, levando o nome de Sergipe pelo Brasil e além. Desde trabalhos científicos até iniciativas voltadas à tecnologia, os projetos sergipanos têm conquistado premiações e participações em eventos de renome nas mais diversas áreas.

Entre os cases de sucesso está o da pesquisadora Paula dos Passos Menezes, doutora em Ciências da Saúde. Paula conquistou o Prêmio Capes de Teses, oferecido pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), do Ministério da Educação. A pesquisadora foi premiada pela sua tese de doutorado, com o tema “Tecnologias para estudo e tratamento da insuficiência venosa crônica: desenvolvimento de microambientes e abordagens nanotecnológicas”. Defendida em 2019, a tese foi laureada na edição 2020 do prêmio.

“Foi uma honra ter sido vencedora do Prêmio Capes de Teses, não só por ser o maior prêmio da pós-graduação brasileira, mas por eu ser a primeira sergipana e primeira aluna da Universidade Federal de Sergipe (UFS) a receber esse prêmio. A ampla divulgação do resultado levou as pessoas do Estado inteiro a conhecer a pesquisa que desenvolvi e a entender sua importância e impacto na saúde. A população sergipana ficou orgulhosa de ver pesquisas tão importantes sendo desenvolvidas em nosso Estado. E, sem dúvidas, a Fapitec tem um papel fundamental nesse fomento. Fui bolsista de iniciação científica e de mestrado pela Fapitec, e estas oportunidades foram cruciais para trilhar o caminho que me levou ao Prêmio Capes de Teses”, afirma Paula Menezes.

Outro destaque sergipano foi o da pesquisadora e ex-bolsista da Fapitec Raquel Gonçalves da Silva de Araújo Fernandes, que ficou em 1° lugar na premiação organizada pela Associação Nacional de Pesquisa em Ciência da Informação (ANCIB), na categoria Mestrado Profissional. Orientada pela professora doutora Germana Gonçalves de Araújo, o trabalho foi intitulado de “O estímulo à leitura em bibliotecas prisionais através do desenvolvimento de dinâmicas culturais”. A dissertação foi defendida em 2020, mesmo ano em que o prêmio foi recebido.

Também bolsista da Fapitec, o aluno do curso de Ciência da Computação da UFS, Flávio Santos, recebeu o prêmio de melhor artigo na categoria Graduação no II Workshop de Pesquisa Bahia-Alagoas-Sergipe (Pesqbase). Intitulado “Self-Organizing Map approach to cluster Brazilian agricultural spatiotemporal diversity”, o artigo premiado propõe um método para regionalização do Brasil a partir das tendências de diversidade agrícola dos seus municípios. O prêmio foi anunciado em 2021, durante evento da Sociedade Brasileira de Computação.

Reconhecimento

Também na área de tecnologia, um dos projetos contemplados no Edital 02/2020 da Fapitec em parceria com a Secretaria de Estado da Educação, do Esporte e da Cultura (Seduc) foi apresentado no 20th Mexican International Conference on Artificial Intelligence (MICAI), na Cidade do México. Trata-se do projeto “Inteligência Artificial Aplicada à Avaliação da Aprendizagem”, coordenado pelo pesquisador Fábio Gomes Rocha, do Instituto de Tecnologia e Pesquisa da Universidade Tiradentes (ITP/UNIT). A apresentação ocorreu em outubro de 2021.

“Foi bem interessante representar Sergipe em um evento como esse, que é extremamente importante para a área da Computação. Também é considerado um dos melhores eventos de inteligência artificial no mundo. Poder discutir o tema nesse cenário mostra que estamos no caminho certo. Isso só foi possível graças ao apoio da Fapitec, que proporcionou a bolsa aos alunos. Isso fez com que a gente conseguisse evoluir nossos estudos”, comenta o pesquisador Fábio Gomes.

O projeto Receitas de Origem, contemplado na primeira edição do edital do Programa Centelha, é mais um destaque internacional. Coordenado pela gerente executiva Aline Marianne Magalhães Farias, o projeto foi aprovado no programa que é considerado o maior lançador de startups do mundo, o Founder Institute. Presente em mais de 65 países, o Founder propõe processos de mentoria, avaliação e desenvolvimento de negócios para empreendedores de alto impacto. A participação ocorreu em 2021.

O diretor-presidente da Fapitec, Ronaldo Guimarães, destaca a relevância das conquistas sergipanas. “Para a Fapitec, é muito gratificante ver projetos que contaram com o nosso apoio recebendo seu devido reconhecimento em âmbito nacional e internacional. Ficamos muito felizes com todas essas conquistas, e reforçamos o nosso compromisso em continuar apoiando projetos de excelência como todos esses”, salienta.

Parceiros

Última atualização: 18 de fevereiro de 2022 12:26.

Pular para o conteúdo