Publicado: 29 de maio de 2019, 08:32

Governo dialoga para formatação de Termo de Cooperação Técnica para pesquisas em Educação


O objetivo é unir a Sedetec, Seduc e Fapitec, a fim de implementar ações conjuntas que assegurem a realização de estudos e pesquisas aplicadas em educação

Na manhã desta terça-feira (28), uma reunião realizada na sede da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia (Sedetec) traçou os primeiros trâmites para realização de um Termo de Cooperação Técnica para elaboração de projetos e posterior investimentos em Educação. “Temos que ter projetos prontos para 2020, para que grandes empresas e companhias possam investir no nosso estado”, destaca o José Augusto Carvalho, gestor da Sedetec.

Na oportunidade, o secretário reforçou a importância da formatação desses projetos para obtenção de recursos. “Temos sinalização de alguns investimentos que podem chegar e caso não tenhamos projetos para alocá-los, corremos um sério risco de perdê-los”, completa. A reunião contou com a presença do superintendente executivo da Secretaria de Estado de Educação, Esporte e Cultura (Seduc), professor José Ricardo de Santana, e da coordenadora do Programa de Tecnologia e Inovação da Fundação de Apoio à Pesquisa e à Inovação Tecnológica do Estado de Sergipe (Fapitec), Ana Flávia Menezes.

O Termo de Cooperação Técnica visa estabelecer prioridades para o desenvolvimento de estudos e pesquisas relacionados à temas de educação básica, assim como a promoção de intercâmbio com outras unidades de ensino, instituições acadêmicas, institutos, centros e núcleos de estudo e pesquisa.

O documento sinaliza três ações que são destaques: estudos, projetos e feiras, com atividades voltadas para o ensino fundamental, médio e profissional. Planejamento e orçamento do Censo escolar, além de aplicações científicas e tecnológicas. De acordo com o professor José Ricardo de Santana, a ideia é que se faça um planejamento na Secretaria de Educação, pois existem projetos específicos que darão a oportunidade de convidar pesquisadores das universidades, podendo também trabalhar ações diretamente dentro da rede estadual de educação, com seus próprios professores.

De acordo com a coordenadora da Fapitec, Ana Flávia Menezes, o papel da fundação é ouvir demandas e viabilizar investimentos em pesquisas. “Em parceria com essas secretarias temos um programa de políticas públicas, onde vamos em busca das secretarias e ouvimos as demandas para, em conjunto, formarmos um termo de parceria. Nele a gente tenta atender as demandas das secretarias através das pesquisas realizadas pelos professores das universidades”, declara.

O encontro tratou ainda sobre o Programa Nacional Centelha em Sergipe, que irá investir no empreendedorismo local. Os gestores discutiram como ele pode ser inserido para os estudantes da rede pública. “Embora o programa tenha uma concentração muito maior nas áreas das universidades, acreditamos que podemos ter alguns alunos, principalmente de ensino profissional, que apresentem e montem grupos em conjunto com universitários e apresentem propostas. Esta seria uma terceira linha de ação que queremos fazer com a parte de feiras científicas e de empreendedorismo”, completa o professor José Ricardo, superintendente executivo da Seduc.

Fonte: ASN/SECOM


Atualizado: 5 de março de 2021, 11:14
Skip to content