Fapitec/SE inicia processo de interiorização

A proposta é expandir as atividades científicas, de inovação e tecnológicas para potencializar o desenvolvimento socioeconômico em Sergipe

BOLETIM FAPITEC/SE CIÊNCIA

Alex Garcez, diretor-presidente da Fapitec/SE

Seguindo o objetivo do Governo de Sergipe de expandir atividades e serviços para municípios do interior do estado, a Fundação de Apoio à Pesquisa e à Inovação Tecnológica do Estado de Sergipe (Fapitec/SE) inicia processo de descentralização de atividades para além da região metropolitana e centros urbanos. A expansão está relacionada ainda ao crescimento da instituição nos campos da pesquisa, inovação e desenvolvimento tecnológico.

A interiorização faz parte de uma nova fase da instituição, que pauta o processo de desenvolvimento socioeconômico, como afirma o diretor-presidente da fundação, Alex Garcez. “A Fapitec/SE tem um papel importante nesse processo de interiorização das atividades científicas e tecnológicas em Sergipe, contribuindo para o avanço da pesquisa, inovação e tecnologia em regiões que, muitas vezes, têm menos acesso a recursos e oportunidades. Isso contribui para o fortalecimento da infraestrutura de pesquisa e para a formação de redes de colaboração entre instituições acadêmicas, empresas e comunidades locais, além de promover a geração de empregos e a promoção do desenvolvimento regional por meio da inovação”, destaca.

Demandas locais

Por meio de programas de fomento à pesquisa, bolsas de estudo e apoio financeiro, a Fapitec/SE busca incentivar a produção científica e tecnológica nas diferentes áreas do conhecimento em Sergipe, contemplando tanto a capital como os municípios do interior. Este fomento contribui para a formação de recursos humanos qualificados e que respondam às demandas específicas de cada local, incentivando a geração de empregos e a promoção do desenvolvimento regional por meio da inovação.

Para ouvir as demandas das comunidades, a fundação começou um planejamento de visitas a universidades e institutos de pesquisa com o objetivo de implementar ações e mudanças necessárias. A diretora técnica da Fapitec/SE, Carla Xavier, ressalta que os jovens da zona rural muitas vezes enfrentam dificuldades para adquirir habilidades profissionais e que as agências de fomento devem desenvolver programas de capacitação que atendam às necessidades locais e ofereçam treinamentos em áreas como agricultura, agroindústria, gestão de negócios rurais e empreendedorismo.

“Os jovens que desejam iniciar seus próprios empreendimentos na zona rural muitas vezes enfrentam dificuldades para obter financiamento, e as agências de fomento podem desempenhar um papel importante na realização de projetos para os jovens empreendedores rurais. Além disso, é importante oferecer orientação e assistência técnica para ajudar os jovens a desenvolver planos de negócios viáveis e sustentáveis”, destaca a diretora técnica da Fapitec/SE, Carla Xavier.

Geração de emprego

A Fapitec é vinculada à Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia (Sedetec). De acordo com o secretário Valmor Barbosa, a interiorização da fundação estimula a criação de empregos e a geração de riqueza para os municípios sergipanos, através da formação em ciência, inovação e tecnologia, levando conhecimento especializado para regiões de todo o estado.

“Essa é uma iniciativa que visa desenvolver práticas inovadoras e acesso às tecnologias em regiões do interior sergipano, a exemplo de incubadoras de empresas nos municípios, incentivando a criação de startups e o desenvolvimento de novos produtos e serviços. A interiorização da ciência, inovação e tecnologia contribuem para alavancar a economia e criar novas oportunidades de emprego e geração de renda”, afirma o secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia (Sedetec), Valmor Barbosa. Para isso, ainda segundo o secretário, a interiorização da ciência, inovação e tecnologia requer investimentos em infraestrutura, educação e formação de recursos humanos, sendo também fundamental estabelecer parcerias entre instituições de pesquisa, empresas e governos locais para garantir a sustentabilidade e continuidade das iniciativas de interiorização.

Fonte: Katia Azevedo – Jornalista e bolsista do Programa de Comunicação e Inovação Tecnológica (PROCIT)

Parceiros

Última atualização: 27 de julho de 2023 09:01.

Pular para o conteúdo