Fapitec demonstra pesquisas inovadoras e tecnológicas fomentadas pelo Governo durante Feitec

Entre os 36 estandes, foram expostas ferramentas desenvolvidas para proteção virtual, apoio a indústrias e métodos para agricultores

O Governo de Sergipe fomenta o desenvolvimento de projetos científicos, e diversas iniciativas apoiadas foram expostas durante a primeira edição da Feira de Inovação, Tecnologia, Empreendedorismo e Ciência (Feitec), promovida nesta semana pela Fundação de Apoio à Ciência e à Tecnologia do Estado de Sergipe (Fapitec/SE), vinculada à Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia (Sedetec). 

Nos estandes, 36 projetos foram apresentados para quem passou pelo Complexo do Desenvolvimento Econômico do Estado de Sergipe, a exemplo de estudantes, comunidade científica, autoridades estaduais e população em geral. “A Feitec foi uma oportunidade de apresentar o trabalho que a Fundação tem realizado em prol da ciência e inovação no estado”, destaca o presidente da Fapitec/SE, Alex Garcez.

As exposições foram realizadas por pesquisadores contemplados em diversos editais de fomento à pesquisa e inovação viabilizados pela Fundação, como Tecnova II (01/2020); Programa de Bolsas PBIC e PBITI (06/2022); Programa de Apoio a Núcleos de Estudos Avançados em Políticas Educacionais no Estado de Sergipe (09/2021); Programa de Mestrado e Doutorado com Produto Tecnológico (04/2021); Programa de Bolsas de Pós-doutoramento Júnior em Instituições Estaduais (05/2021); e Programa de Bolsas de Iniciação Científica Jr (02/2022).

Tecnologia

Um dos projetos expostos foi o da impressora 3D, por meio da startup sergipana Inovector 3D, apoiada pelo edital Tecnova II (01/2020). O gestor de operações da startup, Eduardo Lemos, destaca as utilidades do equipamento. “O objetivo é tornar a impressão 3D tão fácil quanto imprimir em papel. Uma aplicação bastante utilizada é na robótica, para peças como rodas e chassis, e também nas áreas corporativa e industrial. O edital Tecnova foi fundamental, pois sem ele a gente não conseguiria tirar o projeto do papel”, afirma o gestor da startup. 

Outro projeto de relevância é o ‘Égidis’. O professor Lucas Pazoline realiza a iniciativa unindo duas vertentes: o desenvolvimento de um aplicativo educativo sobre segurança virtual e o desenvolvimento de mapeamento da segurança e proteção na internet no Centro de Excelência. “A proteção e a segurança foram o foco do mapeamento que fizemos no Centro de Excelência Deputado Jonas Amaral, em Nossa Senhora do Socorro. Nesse quesito, observamos que os alunos tiveram um desempenho muito baixo, por isso desenvolvemos o aplicativo que visa incentivar habilidades de segurança e proteção na internet por meio de quiz e interação. Em apenas cinco dias, o aplicativo já foi utilizado por mais de cem usuários”, conta o professor. Nove integrantes fazem parte dos dois projetos, entre estudantes do Instituto Federal de Sergipe (IFS), Universidade Federal de Sergipe(UFS) e do Centro de Excelência. 

Aplicação no campo

Além do fomento ao desenvolvimento de ferramentas tecnológicas, há também as pesquisas voltadas ao estudo das ciências agrárias. Um exemplo é o projeto de desenvolvimento de métodos orgânicos para controle de pragas agrícolas, por intermédio do Edital Fapitec/SE/Funtec n° 05/2021 – Programa de Bolsa de Pós-Doutoramento Júnior em Instituições estaduais (Bolsas PDJ). “Sou aluna de doutorado e faço parte do grupo do Laboratório de Controle Biotecnológico de Pragas. A gente procura formas alternativas de uso do agrotóxico. Para isso, a gente utiliza óleo essencial e micro-organismos que visam controlar uma população de insetos-pragas. Essa pesquisa vai auxiliar o trabalho da Emdagro [Empresa de Desenvolvimento Agropecuário de Sergipe] junto aos trabalhadores rurais”, avalia Joseane Oliveira, doutoranda da Biotecnologia Industrial pela Universidade Tiradentes (Unit).

Parceiros

Última atualização: 13 de novembro de 2023 10:24.

Pular para o conteúdo